Lula: a visão de uma anarquista – Resposta

lulanaum

Em resposta ao texto de Dora Incontri.

Cara Dora Incontri, entendo que você tenha dado um relato pessoal, mas você poderia ter sido mais responsável e evitar passar a ideia de que fala partindo do pensamento anarquista per se. Eu sei que você não deseja falar em nome do anarquismo como um todo, mas foi o efeito que conseguiu. 

Você diz que o governo Lula impediu a implementação da agenda neoliberal por ter olhado o social. Esqueceu-se que o desmonte dos direitos trabalhistas começou já no segundo mandato de Dilma. Esqueceu-se da venda de direito de exploração de parte do pré-sal aos chineses, à Shell e à Total da França. Esqueceu-se da privatização de estradas, aeroportos e hospitais universitários. Há diferenças entre os projetos de governo? Há, mas não quer dizer que a do PT seja uma boa alternativa. Se tal alternativa inclui a militarização das favelas e o etnocídio dos povos indígenas de modo a proletarizá-los, então não dá para dizer que é uma alternativa pelo social, pois é autoritária. Pode não ser neoliberal, mas liberal já é ruim o suficiente.

A ascendência econômica do Brasil se deu num período de elevação do preço de commodities e não é por acaso que o PT se aliou a ruralistas, pois são eles que produzem commodities agrícolas a serem exportadas. Some a isso a exploração de minério, produção de bens de base, com direito à construção de enormes usinas para energizar tal produção e para dar às construtoras o que fazer – tudo isso destruindo as comunidades indígenas, como já dito. Tal produção não tem alto valor agregado. Essa é e foi a base de nossa economia. Conforme a cotação das commodities caem, a economia entra em recessão, pois não há uma produção industrial desenvolvida o suficiente para agregar valor a nada. O fim dessa bonança vinha sendo anunciado há mais de uma década.

Quando você relata as origens de Lula, você demonstra uma confusão. Se o Lula deve ser admirado e protegido por ter tido origem humilde, o que dizer de todas as outras pessoas que ainda estão em tais condições de humildade?  O que ele sofre não é nem metade do que sofrem pessoas que não possuem 10% do apoio que ele possui. Dentro do movimento anarquista e entre nossos apoiadores, e você deveria saber disso se realmente for anarquista, temos companheiros que sofreram e ainda sofrem injustiças maiores do que sofre Lula, pois se ele é atacado constantemente na mídia, é porque ele não cai tão facilmente. Já nossos companheiros têm suas vidas destruídas com bem menos esforço. E mais: o PT teve participação na perseguição deles. Enquanto Lula é interrogado com tato e educação, nós apanhamos e somos sequestrados pela polícia e não temos acesso à grande mídia para dar nossas respostas à difamação. Também não podemos pagar exércitos de advogados. Mas que tal falar do restante do povo também?  Um a cada três presos ainda aguarda julgamento. Se quiser falar de presunção da inocência, que tal começar com essa realidade à qual o PT não fez nada para sanar? – pelo contrário! Crianças e jovens negros são mortos por um programa de segurança que o PT apoiou. Se o governo federal do PT apoiou a militarização do espaço urbano, ele também é responsável pela lotação de presídios, incluindo gente ainda não condenada e gente falsamente acusada por uma polícia que sai por aí distribuindo kit flagrante.  (Liberdade para Rafael Braga!) Pelo que eu saiba, Lula ainda está livre.

Me desculpe, mas o seu discurso não reflete o anarquismo que você diz defender. Parece algo escrito por mera simpatizante e não uma anarquista atuante – e talvez seja isso mesmo o que é. O governo do PT foi responsável por uma política de proletarização-ou-extermínio dos excluídos (ou seja, quem não quiser virar mão de obra barata para os ricos é exterminado). Ele manteve ou estreitou laços entre alguns membros do empresariado e o estado para lhes trazer vantagens. Seus aliados foram exterminadores de índios e milicianos urbanos. Me explica como você pode dizer, enquanto anarquista, que se preocupa com a dignidade de gente como Lula, Sérgio Cabral e Eduardo Cunha quando sabe que eles são responsáveis por sofrimento e morte numa escala genocida? Fale enquanto pessoa, mas não enquanto anarquista. Não estamos aqui para fiscalizar os ritos legais pelos quais são submetidos escravizadores e assassinos do povo quando brigam entre si. Estamos aqui para agir em nossa legítima defesa contra tiranos e tal defesa deve empreender o que for necessário.

Anúncios